Publicado por: Breno B | 9 julho, 2008

Veneza

Chegamos em Veneza com o sol já perto no horizonte, deixando a cidade ainda mais bela e romântica do que já é. Logo de cara dá pra perceber que Veneza é única. A grande “avenida” da cidade é o Canale Grande, um canal em forma de S que serpenteia a cidade. Dele saem vários canais estreitos que avançam Veneza adentro. Por isso, não há carros circulando. Tudo depende das embarcações que por muitas vezes entopem os canais. As construções acompanham o curso dos canais e, por consequência, as ruas viram um verdadeiro labirinto.

Saiba que se perder em Veneza é apenas uma questão de tempo. São milhares de vielas estreitas, passagens apertadas e pontes que difícultam se orientar mesmo com um mapa nas mãos. Se perdeu? Siga o fluxo de turistas até um lugar mais conhecido e pergunte como chegar ao seu destino. Um mapa no bolso ajuda um pouco, mas achar o nome das ruas nele é como ganhar na loteria. Lembre-se que as melhores surpresas vem dos lugares mais inusitados. E Veneza é recheada deles.

Para atravessar o Canale Grande, a principal ponte chama-se Rialto. Para encontrá-la, é só seguir as placas pelas ruelinhas. A ponte Rialto liga o bairro de San Polo ao de San Marco onde, depois de atravessar as vielinhas do bairro, chega-se a surpreendente Piazza San Marco. O tamanho da praça de nada lembra as vielinhas que levam a ela. A gente chega espremidinho com um monte de turista com suas câmeras e de repente: pimba… Uma praça gigantesca! Ao redor da praça estão as principais atrações da cidade, ainda que eu considere como principal atração a própria cidade.

A Basílica de San Marco foi construída para guardar o corpo do santo. A entrada é gratuita mas se quiser dar uma espiadela no Pala d’Oro, um grande altar de ouro e pedras preciosas, vai ter que desenbolsar 2 euros. Vale um gelatto. Na frente está o Campanário, uma torre de quase 100m de altura de onde é possível admirar ainda mais a cidade. Também vale um gelatto.

Ao lado da Basílica, é possível visitar o Palazzo Ducale onde antigamente moravam os duques. Destaque para a Scala d’Oro – a escadaria de entrada recheada de ouro no teto – e a Sala del Maggior Consiglio – com uma pintura gigante de Tintoretto. No final da visita pelo palácio, todos passam pela Ponte dei Sospiri que conecta o palácio à prisão. Era a última visão de liberdade dos prisioneiros a caminho da masmorra.

Há ainda alguns bons museus espalhados pela cidade e talvez você consiga achá-los com um mapa. Mas o charme de Veneza só se conhece a pé mesmo. Pra esquentar, pare num boteco qualquer e peça um Spritz de Aperol, uma típica bebida colorida daqui de sabor adocicado e um pouco amargo. Se quiser provar uma bela massa, recomendo um jantar no Tre Spiedi. É fácil achar: passe a ponte Rialto de San Polo para San Marco e continue em frente até o final da rua. Vire à esquerda, passe os correios e atravesse a ponte. Continue reto, passe pela igreja de San Crisostomo, atravesse mais uma ponte e vire à direita na Salizzada San Cazian. Pronto. Dá pra chegar lá com até 5 Spritz na cabeça.

E pra completar nossa visita, fomos passear de gôndola. Elas estão espalhadas por toda cidade e pela bagatela de 80 euros (!!!) é possível dar uma volta de meia hora pelos canais – o que é suficiente, diga-se de passagem. De manhã é mais tranquilo navegar pela cidade, mas conforme vai caindo a tarde, forma-se um hilário congestionamento de gôndolas por todos os cantos. Aliás, respire fundo e tenha paciência porque a cidade é l-o-t-a-d-a de gente nessa época.

É hora de ir embora com aquela eterna vontade de ficar… vem comigo?


Responses

  1. Muito bom seu blog! As fotos são incríveis… qual a técnica para que não apareçam ou quase não apareçam pessoas nelas?

    Parabéns e boa viagem!

  2. É verdade! Pelas suas fotos até parece que Veneza não vive lotada de turistas! Todas estão lindas!

  3. MUITÍSSIMO boa a matéria, completa e com fotos igualmente excelentes.

  4. A primera foto recuerda as quadros do pintor Canaletto. Um bom trabalho e um prazer olhar o seu blog!

  5. Olá Breno
    Tudo bem?
    Estivemos em Veneza em 2000 e a cidade é tudo isto e muito mais. Nunca vi nada tão charmoso. Pretendo voltar. Infelizmente não tenho fotos, porque o maridão perdeu a máquina em Rimini… Tenho uma amiga que está para conhecer a bela Itália. Então, vou mandar suas fotos maravilhosas para ela curtir.
    Como vê, sempre que penso em viagem, volto ao seu ótimo blog.
    Abraços

    • Maria José,

      Fique à vontade. Pode mandar minhas fotos sim.

      Abraços,

      Breno B.

  6. Estamos planejando uma viagem para o Veneto em setembro, eu já estava animada, mas com seu blog estou super animada!!!! Fotos lindas, ótimas dicas.

    Estamos pensando em ir de Milaó para Verona de trem, ficar por lá e arredores por 4 ou 5 dias e depois, chegando a Veneza ficar + 4 ou 5 dias. Vc acha que é uma boa?

    • Cecília,

      É uma ótima idéia. E se puder, dê uma passadinha em Verona que é caminho para Veneza.

      Abraços e boa viagem!

      Breno B.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: