Publicado por: Breno B | 5 maio, 2010

Il Campanário & Jurerê Internacional

Pessoas… perdi todas as fotos do hotel que estavam na minha máquina! Sobrou as fotos da molecada na máquina da Carol. Se alguém poder “doar” algumas para ilustrar o post, ficarei eternamente agradecido…

Ferraris e Porsches conversíveis desfilam pela rua enquanto Veuve Clicquots incrustadas em baldes de gelo correm soltas pelos bares à beira da praia. A música eletrônica embala homens e mulheres que parecem brotar de algum lugar secreto onde todo mundo é bonito, rico e sem barriga. A tarde vai caindo e as mesas viram palco. Quando tudo parece estar na mais perfeita sintonia, eis que chega meia-noite e tudo acaba. O som é desligado e todo mundo vaza do paraíso. Mas graças à união dos Deuses do luxo, do glamour, do poder e da glória a noite de Floripa continua nas boates e se estende até o sol raiar.

Essa é a vida agitada da famosa Jurerê Internacional. Um lugar escolhido a dedo pelos mais abastados para passar as férias e curtir o que a vida ($$$) pode lhes proporcionar – sem aquele velho medo de esbanjar e despertar a cobiça alheia. Nós, pobres mortais, tivemos que quebrar o porquinho de moedas para enfim juntar a família toda para passar o carnaval por lá, no Il Campanário Villaggio Resort.

Já vou avisando: se você acha que toda vez que chegar num resort vai ser saudado por baianas com colares e cocos gelados na mão, está na hora de rever seus conceitos. Mas não fique triste pois apesar da recepção ser mais “cool”, o tratamento dispensado aos hóspedes dá um banho na maioria dos resorts Brasil afora (ouviu resortões?). E os apartamentos também. Muito bem decorados, planejados e espaçosos, com lugar para uma pequena cozinha de grande valor nas manhãs “pós-baladas”.

O que diferencia o Il Campanário de outros resorts que eu estive não é necessariamente o seu tamanho ou a construção inspirada na Riviera Italiana (de gosto discutível, convenhamos). Nem pela estrutura pois apesar de pequeno para os padrões, não falta nada: são três piscinas aquecidas (sendo uma delas coberta), sala de musculação, brinquedoteca, sala de jogos e até um Espaço Gourmet para quem quiser dar uma de chef e impressionar os amigos. O mais legal no hotel é a integração e o respeito que rola entre diferentes tipos de hóspedes que passam por ali.

Explico: de manhã, quando nós saíamos do quarto para o café-da-manhã, sempre encontrávamos um pessoal chegando das baladas. Apesar dos copos de whisky nas mãos e os óculos escuros denunciarem que a farra ainda rolava solta em um dos quartos, não éramos incomodados por ninguém. impressionante! E olha que com trigêmeos circulando, normalmente somos parados a cada 3 passos por pessoas sem nem um pingo de álcool no sangue.

De tarde, quando voltávamos da praia, o pessoal da balada estava acordando e descendo pra uma das piscinas. Sempre tinha um DJ tocando – sabiamente, ele não extrapolava na altura do som. Mas nada de axé, rebolation, brega… aqui só toca chillout! E ali mesmo na piscina todos acabavam se conhecendo, independente dos objetivos de se hospedar no hotel e com muito respeito ao espaço dos outros. Pessoalmente, torço para que essa integração não tenha seja um fato isolado ou restrito ao carnaval. Todas as características do lugar e o nível cultural dos hóspedes contribuem muito para manter essa “vibe” que eu achava impossível presenciar.

E de noite, enquanto tomávamos nossa saideira no bar do hotel antes de cair na cama, o pessoal se reunia no saguão para o esquenta de mais uma noite pelas boates. Mas, como ninguém é de ferro, reservamos a terça – único dia do feriado onde os bares de praia viram a noite – para se jogar no Taikô. Ainda bem o hotel arranjou os convites, já que não é nada legal pagar R$650,00 para entrar. Lá estavam as pessoas bonitas vindas do lugar secreto, misturadas a artistas de TV e aos baladeiros do hotel. E quem liga pra samba no carnaval quando tem bebida de graça, um bom DJ e gente bonita? Eu não…

Voltando a falar do hotel, o que decepciona é não ser pé-na-areia como a maioria dos resorts nordestinos. Uma futura expansão em um grande terreno à frente do hotel ainda deixa a praia a um quarteirão de distância. Nada de mais também visto que fama de Jurerê Internacional não está necessariamente na sua estreita faixa de areia ou na baixa temperatura do mar. E sim no conjunto da obra.

Mesmo sendo uma praia top, Jurerê Internacional abriga todas as classes e raças. Dá pra curtir tudo isso sem gastar muito caso você se hospede numa casa mais afastada da praia ou em outra praia menos badalada. Mas se você pensa em passar por aqui e viver intensamente o clima de Jurerê, venha com mais limite no cartão e caia na gandaia. Eu recomendo e volto.


Responses

  1. […] This post was mentioned on Twitter by Breno B.. Breno B. said: Novo post sobre o Il Campanário no blog. Perdi as fotos do hotel! Quem tiver umazinha sobrando por aí, eu aceito🙂 http://bit.ly/9kTDKb […]

  2. Que bom que você gostou daqui! Sinta-se a vontade para usar as fotos que encontrar no nosso blog. Gostaríamos de saber se podemos usar trechos do seu post no nosso blog e uma foto dos seus filhotes lindos! Obrigado!

    Equipe Blog Jurerê Internacional

    • Oi,

      Obrigado por me autorizar a “emprestar” umas fotos do hotel!

      Fique a vontade tambėm para usar meu texto e minhas fotos.

      Abraços,

      Breno B.

  3. Os babies são muito fofos!!!

  4. Oi Breno,
    Acabei de conhecer o seu blog através do Travel Forever. Muito legal!
    Gostei de tudo, da alma de viajante e agora pai de trigêmeos (parabéns!)! Não tem como eu não linkar vcs la no meu blog! Tudo a ver c/ o nosso assunto!
    Se quiser nos contar uma das viagens de vcs, tb vamos adorar!
    Bjs,

  5. Oi, Breno, tudo bom? Sou repórter da revista Viagem e Turismo, da Abril, e estou fazendo uma matéria sobre Caribe. Li aqui no seu blog que você já foi duas vezes a Los Roques. Será que você não poderia me dar um depoimento? Se você puder me retornar, meus contatos são: julia.gouveia@abril.com.br/ (11) 3037-4835. Obrigada!

  6. Breno, da charada do Riq fui pro seu blog, e do seu pro dos trigêmeos. Li que você veio pra Itapeva na Páscoa. Quando vier pra cá de novo vamos fazer uma mini-conVnVenção. Abraço.

    • Zé Maria,

      Vamos sim! Meu pai tem uma fazenda em Bom Sucesso de Itararé e uma fábrica de polpas aí em Itapeva.

      Da próxima a gente marca alguma coisa…

      Abs,

      Breno

  7. Você me acha aqui: http://imitaimoveis.com.br
    Fala pro seu pai passar lá pra prosear um pouco.

  8. Olá
    Como se diz por cá – “ainda ontem nasceram” e já estão a brincar com um ar todo autónomo e tão engraçadinhos.
    Gostei de ver.
    Beijinhos para os 5

  9. Oi Breno! Adoramos o blog de vcs e achamos que vcs super merecem nosso selinho!
    http://euviajocommeusfilhos.blogspot.com/2010/05/selinho.html

    Venham nos visitar!
    http://euviajocommeusfilhos.blogspot.com/

    Estamos linkando seu blog, tá?
    Abraço!

  10. gosto imenso de viajar e os seus gémeos são lindos1

  11. gosto muito de viajar e a propósito os seus gémeos são lindos, parabéns…

  12. caro Breno,

    conheci teu bloq atraves do ricardo freire, parabens pelo bloq e pela linda familia.
    gostaria de uma sugestao tua.
    resido em Orlando na florida e sempre vou ao brasil en julho. visito minha mae na paraiba, vou a BH apara ver a sogra e depois geralmente vou por uma semana para algum resort. ja estive no comandatuba 06 vezes , voce aconselharia outro resort? ou ate ir ao valle nevado no chile? agradeco sua atencao
    magno

    • Alexandre,

      Eu recomendaria o Tivoli Ecoresort Praia do Forte ou o ClubMed Trancoso. Pode ir que você não vai se decepcionar.

      Se quiser algo mais romântico, tente o Nannai Beach Resort ou Ponta dos Ganchos. Todos eles tem um post aqui no blog.

      Abraços e boas viagens,

      Breno

  13. Gostaria sua opiniao se vc acha melhor o Il Camp. or Jurere. Quero uma coisa bem na praia. Estou indo em Nov pro 4 dias.

    Obrigada
    Alex

    • Alex,

      Não entendi sua pergunta.

      Abs

  14. As fotos com os trigêmeos estão perfeitas! Pra que outras? Eu tenho gêmeas que estão com 13 anos, eu faço uma leve ideia do que seja viajar com 3 bebês. Tenho uma amiga em minha cidade que tem trigêmeos com a mesma idade das minhas filhas, certa dia estava andando no centro da cidade com uma agarrada em cada mão (eram pequenas) e encontrei minha amiga com 2 em uma mão e 1 na outra…´rs Mas é muito gratificante, parabéns pela família.

    • Silmara,

      Viagens com múltiplos é sempre mais complicada. Mas com planejamento e tempo é possível fazer qualquer coisa.

      Hoje eles têm quase 3 anos e já reduzimos muita bagagem. Carrinhos, fraldas, comidinhas… essas coisas que ocupavam espaço não precisamos mais.

      Por outro lado eles demandam mais atenção pois têm uma energia infinita🙂 Mas tudo dá certo no final…

      Abraços e volte sempre!


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: